EU FUI SABER O QUE EU TINHA, QUANDO PERDI!

imagesHoje, enquanto uma cliente descansava em sua Bioenergia aqui no Espaço, comecei a zapear pela tv e me deparei com um filme já bastante batido, mas vindo de um final de semana com algumas “surpresas emocionais” resolvi ficar assistindo o infantil do Shrek, que muito sabiamente em suas falas, disse a milhões de crianças e adultos mundo afora: “EU FUI SABER O QUE EU TINHA, QUANDO PERDI!” De repente e, talvez pelo final de ano está chegando e eu me encontrar absolutamente cansado, emocionalmente, por conta de muitos acontecimentos ao longo desses meses, me vi pensando em quanto esforço, absolutamente desnecessário, a gente faz para se encaixar no padrão esperado pelas pessoas com as quais a gente convive diariamente, seja essa convivência por uma limitação, deficiência, ou simplesmente pensar de forma diferente da maioria…

costurafridaÉ, é muito complicado quando você não se encaixa, quando pensa diferente da grande maioria. Nesses momentos, a gente começa a enxergar as coisas em sua mais fiel realidade, são momentos aonde a nossa lucidez, nos permite enxergar com muita precisão tudo e, penso que isso tem a ver com o quanto somos conscientes do que vivemos, dos nossos choques interiores, traumas, essas coisas e isso termina nos deixando desprovidos de graça, é quase um estado de humilhação, mais ou menos isso!

getSão nesses momentos, que, fielmente, passamos a enxergar tudo meio branco e preto, meio dè já veu. De repente, é como se o encanto se desfizesse, aquela impressão de que nada tem graça, que as cores estão pálidas, mornas, meia boca, e, então, podemos enxergar que a realidade é dura mesmo… De repente, a gente vê um monte de gente extravasando, se expressando fielmente aos seus desejos e você se vê ali, como quem tem uma deficiência, alguma limitação, sabe, esse tipo de coisa que consome a nossa alegria, meio que como o estampado colorido que perdeu a cor…  Aquela chama, que alegrava, parece apagada e muitos de nós, que muitas vezes preferiríamos ficar em casa, somos “obrigados” a comparecer, a fazer o social bem feito, porque se não fizer, que coisa feia! logo te chamam de anti-social…

1888756_653077008093245_1937624376_nO que termina acontecendo é que nos jogarmos naquele cantinho bem escondidinho e ficamos lá disfarçado de palmeira, de preferência… Tudo para não chamar a atenção e não ser descoberto, não é verdade? Pois é, nesse momento percebemos que o peixe não reconhece a água… É amigos (as), a vida é, de fato e de direito, uma ilusão, simples assim e querem saber, feliz de quem pode se iludir… mas quem não pode se iludir, perde a paciência com os iludidos. É como se as ilusões alheias não passassem de frescuras e isso, bem naquele tom miserável e ressentido de inveja, já que todo desiludido, possivelmente, não pudesse dispor dessas “frescuras”…Rsrsrsrsrsrsr.

degraus_plenitude3Tudo no outro, passa a ser futilidade, bobagem, coisa sem graça, enfim, nos vemos como encastelados em nossas zonas de conforto e os “normais”, de repente, passam a ser fúteis, bobos, sem noção, gente que desperdiça força e energia com coisas estéreis, mais ou menos, como o ratinho de laboratório que gira, gira, num carrossel sem fim… Nós, os ditos “normais” temos a grande pretensão de, vaidosamente nos julgarmos importantes e solenes… Quanta pretensão, quanta vaidade, acharmos que só nós podemos ser notados, dignos, afffffffff! Mas isso tudo, não dura até o primeiro tropeção, aonde a pose vai ao chão e a superficialidade, nos coloca, exatamente nos nossos devidos lugares, sabe, é quando perdemos algo REALMENTE IMPORTANTE… Fato! E aí, nós os “normais” temos aquele lampejo de lucidez onde a água se faz perceber ao peixe, pela sua ausência!

seja_voc%C3%AA_mesmo_umombroamigo

O problema, é que a grande maioria de nós e eu me incluo nisso, desde que que somos “educados”, somos bombardeados por mensagens negativas, pessimistas, onde ser feliz é pecado, sorrir demais, é sinal de que vem tristeza depois, amar tem que doer, porque senão não é amor, não é  verdade? Todos nós sofremos de tendências incrédulas e comodistas e, acabamos, muito facilmente, acatando todas as orientações, que só visam podar nossas ações positivas, porque, a grande verdade, é que ninguém, mas ninguém mesmo, admitiria, mas bem lá no íntimo, pensamos assim: “QUE ÓTIMO, QUE ALGUÉM DISSE QUE NÃO PODE!” aí fica fácil, não é? Novamente a zona de conforto, onde não preciso tentar, não preciso me esforçar e a vida, segue… Quanta estupidez! Quanta falta de coragem!

ÍndiceO pior, é que muitos de nós, que não conseguimos sequer, descobrir o prazer do novo, do construir sem medo, sabe, isso contrariaria as regras já estabelecidas e, assim é melhor seguir sem grandes esforços… Sem crescer, sem se arriscar, sem ter que fazer mudanças, sem descobrir as maravilhas de se estar vivo, sem ter que ficar forte, sem se tornar senhor de si mesmo e ainda temos que agradecer esses favores aos nossos pais e professores, que, gentilmente, nos ensinaram a ficar quietinhos para não “incomodarmos”, não é bonito isso?

Era para ser  se não tivéssemos que ficar quietinhos, limpinhos, bonitinhos, de acordo, bem ao estilo “REBANHO DE IGREJA”, quando ao final de tudo, tudo passa a ser vergonhoso… Em cima disso, temos uma mídia massacrante, COM SUA PROGRAMAÇÃO que só forma imbecis e que só tem como função, vender, vender, vender… No final dessa cadeia, ou no fim, não necessariamente nessa ordem, temos um governo com seu chicote burocrático que na busca da ORDEM E PROGRESSO, até certo ponto justificável, acaba nos fazendo borrar as calças de medo de ser preso, de levar multas, de responder a processo, de ter que votar em plena democracia… Coisas do nosso BRASIL GLOBALIZADO…

ÍndiceComo disse Mao Tse-Tung: “PASSIVIDADE É FATAL PARA NÓS! NOSSO OBJETIVO DEVE SER DEIXAR O INIMIGO PASSIVO”… Então, não é de se admirar, que tantas pessoas estejam com as suas vidas empacadas diante de tantas mensagens diretas e subliminares, que diariamente as orientam a “NÃO INCOMODAREM” a “FICAR QUIETINHAS”…Dessa forma só me resta lembrar das palavras de Shrek:” “EU FUI SABER O QUE EU TINHA, QUANDO PERDI!”

Zona-de-Conforto-A

E que bom, que ainda podemos, em algum momento de nossas vidas deixarmos um pouco a normalidade de lado e entender, que nunca é tarde para acordar!

SIMPLES ASSIM!

images

3 pensamentos sobre “EU FUI SABER O QUE EU TINHA, QUANDO PERDI!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: