MAGIA

 

 

Magia, como o próprio nome já nos sugere, fala de uma carga de sedução tão poderosa, que eu gosto de as vezes pronuncia-la apenas para ouvir o som que o mesmo provoca. Magia, para mim, é a arte de interagir e manipular as forças desconhecidas da natureza, interiores e exteriores ao homem, isso em sentido restrito. Em um sentido mais amplo, e eu gosto desse sentido mais amplo, Magia é tudo que dá um “tapa na cara” da realidade instituída, ou seja, que mostra o que está sob o véu do que as pessoas acham que é real. Partindo desse ponto de vista, a aparição de uma fada é magia, a criação de um servidor é magia, o acesso a um outro plano, através da meditação é magia, até um milagre realizado por um religioso, é magia.

Creio que a magia possua dois processos básicos, o interno e o externo. Em primeiro lugar, você precisa acreditar, internamente, na magia, desenvolver sua mente, seu ser, para entender e acessar as forças desconhecidas, para então interagir com elas. O poder de um “mago” se resume a dois fatores: talento X estudo. Alguns nascem com uma pré-disposição para a coisa, mas, não estudam e nunca desenvolvem, outros nascem sem praticamente nenhuma inclinação, mas, se interessam e vão longe. O poder mágico, então, se dá por uma conjugação de dois processos, desenvolvimento interno e o acesso às energias externas, sem contar o acesso às energias internas, também, algumas pessoas possuem energias internas muito potentes e devem usá-las com bom planejamento para desenvolver ainda mais seu poder mágico.

Considerando a magia como possuidora de elementos exteriores ao indivíduo, podemos afirmar, que ela pode ocorrer independente da vontade do indivíduo. A magia pode lhe atingir quando você menos esperar. Ela pode chamá-lo para desvendar seus mistérios. Ela pode envolver sua vida, até você não ter escolha senão explorá-la. Ela está na natureza, em todos os seus aspectos, independentemente de sua vontade. Está na floresta, nas águas, no ar, na vida que pulsa por todas as partes.

Está nos deuses, está, enfim, em Deus. Acho essa Magia muito mais interessante, mais iluminadora e real, que aquela que se resume a técnicas mentais para desenvolver a vontade individual. Por isso, acho a maioria das ordens tão pobre de objetivos, que não me empolgam, reduzem a magia à manipulação da vontade humana, dão uma supervalorização aos homens, considerando-os grande demais. Sou contra isso, acho que para crescer, o primeiro passo é reconhecer-se pequeno. Desta forma, sempre que inicio qualquer procedimento, sempre, me coloco em lugar de menor destaque, pois os elementos são mais importantes que eu. Sou apenas o veículo, o essencial, quem faz é a Mãe Natureza, seus elementos, a Mãe Terra, Deus, enfim!

Nada sou diante do AR, nada sou diante da TERRA, nada sou diante do FOGO, nada sou diante da ÁGUA, nada sou, diante daquilo que nos move e que acostumamos chamar de ENERGIA, DE DEUS!

Simples assim!

 

%d blogueiros gostam disto: